Como organizar a vida financeira para mudar de casa

Casal com a vida financeira organizada para mudar de casa

Só quem passou por uma mudança sabe a dor de cabeça que isso pode gerar, principalmente para quem vive de aluguel. Os pequenos reparos tiram boa parte da renda mensal de uma família, por isso a preparação financeira é tão importante. Com a pandemia, essas mudanças tornaram-se ainda mais comuns graças aos diferentes fatores que afetam a economia de uma casa.

Uma pesquisa do QuintoAndar, em parceria com a Offerwise, mostrou que um em cada seis brasileiros mudaram de imóvel com a pandemia. Mais de 70% dos entrevistados passaram a ver suas casas de forma diferente, sendo que, desse grupo, 16,5% acabaram decidindo alugar um outro espaço.

A relação de moradia entre os brasileiros mudou, pois muitas casas tiveram que se adaptar ao home office, onde cômodos passaram a ser escritórios de trabalho. Pode ser que não faça sentido para você hoje, mas com as dicas da Flix você pode ter um melhor preparo financeiro para fazer uma mudança com mais calma e tranquilidade.

Organizando a vida financeira para mudar.

Reserva financeira 

Para iniciar uma mudança, é preciso preparar a vida financeira, certo? O seu orçamento será afetado pelos gastos com a mudança, que nem sempre podem ser previstos. Para que você não saia no prejuízo, nem dê um passo maior do que as pernas, é melhor estar preparado e em dia com as suas finanças. Afinal, o foco é a conta fechar no azul.

De acordo com dados do Serasa Experian, o número de brasileiros com contas atrasadas chegou a marca de 63 milhões em abril de 2021. O que totalizou o ano com 1,6 milhão de pessoas negativadas até o momento.

Perder o controle das contas de casa é o primeiro passo para uma mudança feita com dor de cabeça. Vale lembrar que é importante melhorar as finanças dentro de casa meses antes da mudança, seja poupando gastos ou investindo em uma poupança.

Também existe a possibilidade de direcionar o dinheiro que sobre no fim do mês aos gastos que o proprietário ou as imobiliárias cobram do locatário para reparos e ajustes da propriedade. Você ainda pode fazer um extra guardando esse dinheiro em uma poupança, assim ele rende juros a cada mês.

Taxas com reforma são um gasto para o locatário, por isso é muito importante preparar a reserva financeira desde o momento que a mudança surgir em mente. Aqui você vai encontrar uma dorzinha de cabeça bem chata, já que pintura, pequenos reparos e transporte dos móveis são gastos necessários e que saem diretamente do seu bolso.

Para os locatários de apartamentos, normalmente, os condomínios cobram uma taxa de mudança, atente-se a isso e faça conta desse dinheiro para não ser pego de surpresa.

Mudança para melhor

Quem decide se mudar acaba se esbarrando em uma infinidade de imóveis ofertados pelo mercado imobiliário. Nesse quesito você também deve levar em consideração o valor. Normalmente, pensamos nos meses antes da mudança e não no pós, mas os primeiros meses depois de fazer uma mudança são essenciais para tomar o fôlego da economia.

Coloque os custos de casa na ponta do lápis para que as suas contas fechem sempre no azul. Anote em um caderno, em planilhas ou até em aplicativos de celular todos esses dados sobre as suas economias. Assim, você pode testar o que mais funciona para você e o seu estilo de vida.

Leve em consideração também os gastos fixos como água, energia, gás, comida e telefone. Além desses você terá o valor do aluguel ou da parcela de financiamento em casos de um imóvel comprado.

Fique ligado ao IPTU do imóvel, pois em alguns casos de aluguel é possível que o proprietário fique como responsável pelo pagamento da conta. Se tratando de condomínio, se atente às taxas de mudança e à mensalidade que é dividida entre os outros moradores. Em alguns casos, já vem incluso a água e o gás.

Criança rabiscando a parede.

Evite gastos excessivos

Essa dica é valiosa para os residentes em um imóvel de aluguel, podendo afetar o funcionamento da casa e o uso de um móvel que você queira aproveitar de uma casa para outra.

Quando alugamos um imóvel, ele está zerado. Isso significa que as paredes estão limpas, sem furos e ele está regularizado para que você possa entrar com seus móveis. O problema está na hora de sair dele.

Furos na parede, desenhos, travas de janela quebradas, tudo isso aumenta ainda mais os gastos na hora de sair do imóvel. Todos esses empecilhos devem ser consertados na hora de sair para que outra pessoa possa entrar e muitas vezes a conta vai para o locatário. Portanto, melhor tomar todas as precauções da parte financeira e cuidar direitinho da casa alugada para que você não gaste além do planejado na hora de deixar o imóvel.

Outro fator que pode ajudar na hora de economizar é contratar um seguro residencial. Mesmo sendo um imóvel alugado, o seguro pode te ajudar muito na hora dos imprevistos. Seja com encanadores, chaveiros ou eletricistas, com coberturas para acidentes domésticos e acionamentos emergenciais você fica mais tranquilo.

Assim, você tem zero dor de cabeça com imprevistos e de quebra ainda garante proteção contra explosões, incêndios e raios. Demais, não? A Flix é uma dessas opções de seguros que protegem apenas o que importa para você, ou seja, você só paga pelo que realmente importa. Visite nosso site: https://www.flix.com.vc/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *