Acabou o recreio: dicas para ajudar na educação domiciliar

Usando a criatividade e o que temos à nossa disposição é possível garantir a educação das crianças em casa.

Quem nunca fingiu estar doente pra tentar escapar de um dia de aula? Hoje, infelizmente, a situação é bem diferente. Já destacamos em nosso blog alguns cuidados com brinquedos e algumas atividades para toda a família nessa quarentena, mas agora é o momento de falar sobre educação.   

A perspectiva para uma volta às aulas presenciais segue confusa e, dependendo de onde você mora, pode terminar sendo uma decisão dos pais. Por isso, mesmo com as aulas digitais, que variam de eficácia dependendo da escola, da criança e da tecnologia disponível, a educação domiciliar está sendo extremamente importante agora.  

Brincadeira de criança (como é bom):
São justamente as crianças menores que podem apresentar uma maior desafio de ensino para os pais nesse momento. O aprendizado delas passa muito pelas brincadeiras, exploração e interação com o mundo e as pessoas ao redor. Consequentemente, isso limita o quanto a tecnologia pode ajudar, exigindo um pouco mais de criatividade dos responsáveis.

Você pode criar um mapa do tesouro, por exemplo, pedindo ajuda de um irmão mais velho para trabalhar junto com a criança e estimular a sociabilidade. Uma brincadeira de adivinhação estimula a imaginação e o raciocínio, enquanto uma caixa sensorial, com diferentes objetos do dia a dia ajuda a aguçar os sentidos e ampliar os vocabulários.

É um pouco uma questão de tentativa e erro. Veja o que funciona, separe um momento para cada atividade e vá alternando as brincadeiras de acordo com o que melhor estimula o pequeno. 

Tecnologia não é só distração:
Para crianças um pouco maiores, a tecnologia pode ser aliada sim, e não estamos falando de ligar a televisão na Peppa Pig ou abrir um vídeo de Minecraft no YouTube. As atividades clássicas como amarelinha ou contar histórias sempre terão um espaço, mas essas mesmas ferramentas que usamos para “distrair” ou “ocupar” as crianças podem fazer muito mais do que isso.

Procure ou converse com outros pais sobre canais educativos no YouTube ou na televisão. Eles podem ser apenas informativos ou até mais complexos, com educadores passando atividades que estimulam a criatividade das crianças. Busque acompanhar junto com elas e estimular as atividades, principalmente se estimularem a criatividade ou criação de brinquedos com materiais que temos em casa.

Explore o mundo e museus através da internet ou aprenda a fazer slime ou tocar algum instrumento juntos com a ajuda de vídeos. Se for gamer, procure um jogo próprio para a criança e use aquele mundo como um estímulo também nas horas vagas. 

A grande família:

Não existem muitos pontos positivos da situação que estamos vivendo mas, para muitas famílias, a oportunidade de passar mais tempo juntos tem sido ótima para a convivência. Aproveite esse momento, já que uma das grandes perdas para as crianças é a falta de convívio com os coleguinhas da escola. 

Filmes, jogos de tabuleiro, leitura de histórias ou simplesmente fazer todas as refeições juntos – seja comendo ou de fato preparando a comida – são essenciais. O desenvolvimento social também é parte fundamental da educação. Aproveite esse momento para se inserir mais nas aulas e atividades das crianças e também para acordar um pouco da criança que cada um de nós tem no coração. Estimular a criatividade não faz bem só para quem está crescendo. 

Aula também faz parte:

Principalmente para as crianças mais crescidas, as aulas são essenciais. Por isso, é importante que os responsáveis façam o máximo para que elas funcionem bem dentro de casa. E você vai reconhecer algumas dessas dicas, por que elas também servem para o trabalho.

Crie uma rotina tanto para estudos quanto para assistir às aulas. Isso inclui um espaço próprio para isso, se possível, e também momentos para pausas e recreação. Uma boa ideia é tentar alinhar esses horários com os seus. Isso também ajuda a evitar o “ritmo de férias”. A gente sabe como pode ser complicado voltar a focar em estudos ou trabalho depois de um tempo de relaxamento, e o mesmo vale para as crianças. 

Ah, e se comunique com os outros responsáveis pela educação. Mantenha uma linha aberta com professores e responsáveis das escolas, seja na quarentena ou depois dela. Eles podem te ajudar e oferecer informações que só os profissionais de educação conseguem observar. 

E você, criou alguma atividade para as crianças da sua família? O que mudou na convivência durante esses últimos meses? Deixe o seu comentário abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *